Home / Estreias / Projeto 365 – Dia 212 – Snowden – Herói ou traidor

Projeto 365 – Dia 212 – Snowden – Herói ou traidor

“Você não precisa concordar com seu país para ser patriota”

Sinopse:

Ex-funcionário terceirizado da Agência de Segurança dos Estados Unidos, Edward Snowden (Joseph Gordon-Levitt) torna-se inimigo número um da nação ao divulgar a jornalistas uma série de documentos sigilosos que comprovam atos de espionagem praticados pelo governo norte-americano contra cidadãos comuns e lideranças internacionais.

Opinião:

Poucas pessoas que assistirão esse filme não conhecem Edward Snowden, sua história tomou conta de todos os espaços de mídia na época. A grande novidade do filme é a revelação do motivo que levou Snowden a abdicar da sua vida confortável de agente de segurança, para virar um fugitivo do país que sempre defendeu. Nesse sentido, o título criado para o Brasil, acaba auxiliando o público. Nunca sou a favor de adaptações, o título original é apenas “Snowden”, mas nesse caso é fundamental que as pessoas saibam que o filme vai tratar sobre o assunto “certo ou errado” que envolveu as atitudes do ex-agente.

Com uma história alinear, o filme vai criando um quebra-cabeça imaginário, oferecendo as peças de maneira desordenada para apresentar um pouco da história e da personalidade de Edward Snowden. Esse esquema alinear foi uma boa sacada do roteirista, já que o ato final acaba sendo menos importante que as ações que o compuseram.

snowdenmovie

Mas, de longe, o ponto mais alto desse trabalho são os diálogos. Desde os mais simples entre Snowden e sua namorada, até os mais complexos envolvendo os esquemas de espionagem, criação de programas para captação de dados privados, ou problemas de relacionamento. Para o espectador mais atento a sensação que fica é de uma avalanche de informação, com bastante foco em assuntos como o valor da privacidade, as ameaças que Snowden recebia, além da tensão de viver vigiado.

O clima do filme é bem tenso. Com a ausência de trilha sonora, somos expostos a um silêncio cortante, algo que ajuda no mergulho que o roteirista quis fazer na mente de Snowden. Todas as situações que o protagonista viveu faz com que o espectador reflita e pense o que faria no lugar dele. E essa reflexão é a mensagem mais forte desse trabalho, pois, no passado, todos apontavam o dedo para Edward Snowden e o julgavam como vilão ou herói, agora, com mais essas informações vindo a público, temos um pouco mais de material para alimentar essas discussões.

Fica evidente que Edward Snowden quis jogar a discussão sobre privacidade ao público comum, incentivando outras pessoas a fazer o mesmo. Cabe agora ao mundo “normal” trabalhar com essas informações e decidir o que fazer com os dados disponibilizados por Edward Snowden.

E aí, vilão ou herói?

edward-snowden

Comentários

comentários

About Celso Bove

Celso Bove Publicitário, Webdesigner, Blogueiro, fotógrafo, amante de todos os tipo de arte, em especial cinema. Fundador do Blackcine.

Leave a Reply

Your email address will not be published.