Home / Filmes / Projeto 365 – Dia 190 – O homem duplicado

Projeto 365 – Dia 190 – O homem duplicado

“O caos é uma ordem por decifrar”

Sinopse:

Um pacato professor de história descobre acidentalmente a existência de um sósia seu, um ator, quando assiste a um filme banal. Ele, então, resolve ir atrás de seu duplo, envolvendo sua namorada e a esposa dele, em uma trama de suspense que muda a vida de todos os personagens.

Opinião:

O primeiro detalhe a se conversar é sobre o nome do filme. O título original é Enemy, ou seja, passa a informação que o outro é um inimigo. Diferente do título em português que é “Homem duplicado”, que já traz uma outra interpretação para quem ainda não viu o filme. Eu, particularmente, prefiro o título português.

Sobre o filme, inicia-se com muito mistério, trazendo um personagem principal abatido pela própria vida e, o principal, que repete uma rotina idêntica todos os dias da sua vida. Até que acontece esse mistério intrigante citado na sinopse, modificando completamente o filme e os caminhos da trama.

O principal recurso técnico que ajuda essa transição é a fotografia, trazendo um amarelo escuro quando a cena é pacata e mais introvertida, e cores e luz quando algo está acontecendo para acelerar o ritmo do filme. É super interessante reparar o vai-e-vem dessas duas formas de paleta de cores.

professor de historia homem duplicado

Outro bom ponto do desenho desse roteiro é a forma como o autor do livro, Saramago, consegue dar uma utilidade para a profissão dos dois homens duplicados. Adam Bell, o primeiro a ser apresentado, oferece um professor de história que traz filosofias de autores como Hegle e Karl Marx, trazendo frases desses autores para agregar ao trabalho do diretor Denis Villeneuve. O principal tema abordado é como as pessoas são enganadas e como a vida, e os problemas, se repetem. Anthony St. Claire, que teoricamente o duplo, traz um contexto mais despojado, mais seguro, criando um oposto clássico.

Essa questão de duplo não é novidade, afinal, “O duplo” de Dostóievski fala disso, “Cisne negro” trouxe um pouco dessa temática, entre outros, mas esse trabalho tem um diferencial extremo chamado ARANHA. Durante todo o filme, junto da trama, aparecem algumas aranhas, uma pequenas outras gigantes, mas sempre chamando a atenção e agregando ao filme o tom de mistério. A explicação desse pequena parte do filme eu dou para aqueles que já viram, no final do texto. Para quem não viu, vale observar com atenção e tentar entender.  

Em resumo, vale bastante a pena assistir essa obra. Um roteiro que traz um suspense super interessante e provocando a todos sobre a questão de como agiríamos se descobríssemos um alguém igual a nós.

explicacao da aranha o homem misterioso

Explicação sobre as aranhas:

Segundo o diretor a aranha foi uma ideia que surgiu durante a adaptação do livro original: “para mim a aranha é a perfeita imagem para traduzir algumas ideias do livro. Estava em busca de uma besta que inspirasse um sentimento cuja principal ideia fosse a inteligência. Então percebi que a aranha era a melhor imagem de uma besta que alia uma forte inteligência com elegância”. Ou seja, o diretor escolheu um animal para representar as loucuras de Saramago (autor do livre ao qual a obra se baseia) trazendo um animal que representa o destino, utilizando a teia como algo para mostrar que tudo tem uma ligação e está amarrado.

Comentários

comentários

About Celso Bove

Celso Bove Publicitário, Webdesigner, Blogueiro, fotógrafo, amante de todos os tipo de arte, em especial cinema. Fundador do Blackcine.

Leave a Reply

Your email address will not be published.