Home / Clássicos / Projeto 365 – Dia 184 – Túmulo dos vaga-lumes

Projeto 365 – Dia 184 – Túmulo dos vaga-lumes

“Por que os vaga-lumes morrem tão rápido?”

Sinopse: 

Os irmão Setsuko e Seita vivem no Japão em meio a Segunda Guerra Mundial. Após a morte da mãe num bombardeio americano e a convocação do pai para a Guerra, eles vão morar com alguns parentes. Insatisfeitos, saem da cidade e acabam num abrigo isolado na floresta, onde lutam contra a fome e as doenças e se divertem com as luzes dos vaga-lumes.

Opinião:

A frase que abre esse texto questiona o tempo de vida dessa intrigante criatura que são os vaga-lumes. Em ambientes normais, os insetos desse espécie sobrevivem entre um e três anos, porém em condições de fuligem e bombardeios, como era na época do Japão de 1945, morriam com muita facilidade, gerando a incômoda cena de insetos acumulados ao morrerem juntos. É com essa analogia que Hayao Miyazaki cria sua visão do que foi o período da segunda grande guerra, passando para o mundo o lado japonês dessa história (já que somos inundados de filmes com a visão americana).

fuligem tumulo dos vagalumes guerra japonesa

Com cenas de alta intensidade, o filme “Túmulo dos vaga-lumes” não poupa o público dos horrores da guerra, e mesmo se tratando de um desenho com características infantis, a todo momento vemos pessoas feridas, corpos queimados, sangue e mortes. Isso tudo gera uma atmosfera de um filme adulto com roupagem infantil; assim como as personagens principais que perdem a infância para tentar sobreviver nesse território hostil.

cenas trágicas tumulo do vagalume

 Setsuko (quatro anos) e Seita (onze anos) traçam como a personalidade japonesa mudou em tempos trágicos; ela, delicada e sonhadora, passa a ser tristonha e sem esperança, ele, fiel e obstinado, deixa seus valores de lado para sobreviver. Uma mudança que, praticamente, toma todo o roteiro desse trabalho de 1988.

Para ajudar a ilustrar essa atmosfera o Studio Ghibli traz uma fotografia impecável. Os detalhes da produção enchem os olhos dos admiradores dos traços japoneses, porém, a fotografia é muito mais importante do que meramente ilustrar. Ela é didática e ajuda o espectador a entender essa história alinear e bidimensional, mexendo na paleta de cores para auxiliar nesse processo.

Outro bom detalhe é a trilha sonora. Acompanhando as nuances do filme, a trilha vai variando entre melancólica e divertida, trazendo as variações sintomáticas que esse trabalho proporciona ao espectador.

tumo dos vagalumes studio ghibli

Enfim, uma obra prima do Studio Ghibli, capaz de emocionar e ensinar, demonstrando todo o horror que essas pessoas passaram nesse período, mostrando, em detalhes, que não há lado certo quando se trata de guerra; todos são reféns dessa disputa macabra.

PS1: “Túmulo dos vaga-lumes é baseado no livro semi-autobiográfico de Akiyuki Nosaka.

PS2: o filme foi feito simultaneamente com outro clássico dos Studio Ghibli, “Meu vizinho chamado Totoro” que falamos aqui. 

Comentários

comentários

About Celso Bove

Celso Bove Publicitário, Webdesigner, Blogueiro, fotógrafo, amante de todos os tipo de arte, em especial cinema. Fundador do Blackcine.

Leave a Reply

Your email address will not be published.