Home / Blackcine / Projeto 365 – Dia 177 – A Grande aposta

Projeto 365 – Dia 177 – A Grande aposta

“Vocês disseram que queriam ser ricos, agora sao ricos”

Sinopse:

Michael Burry (Christian Bale) é o dono de uma empresa de médio porte, que decide investir muito dinheiro do fundo que coordena ao apostar que o sistema imobiliário nos Estados Unidos irá quebrar em breve. Tal decisão gera complicações junto aos investidores, já que nunca antes alguém havia apostado contra o sistema e levado vantagem. Ao saber destes investimentos, o corretor Jared Vennett (Ryan Gosling) percebe a oportunidade e passa a oferecê-la a seus clientes. Um deles é Mark Baum (Steve Carell), o dono de uma corretora que enfrenta problemas pessoais desde que seu irmão se suicidou. Paralelamente, dois iniciantes na Bolsa de Valores percebem que podem ganhar muito dinheiro ao apostar na crise imobiliária e, para tanto, pedem ajuda a um guru de Wall Street, Ben Rickert (Brad Pitt), que vive recluso.

a grande aposta steve carrel christian bale bradd pitt

Opinião:

Quando um filme recebe indicações para o Oscar, ou qualquer outra premiação de peso, logo tendemos a achar que ele é bom. Um fato que vale para muitas coisas da vida. Acontece que não é bem assim que funciona. A realidade é que um filme só vai ser bom para você se, no mínimo, você tiver algum tipo de envolvimento com a história.

A obra do diretor Adam McKay traz para as telas o mundo obscuro, sujo e nojento dos bancos. Com seu capitalismo fervoroso e sua ganância movida a destruição sem limites. Ou seja, um assunto que muitos estão envolvidos, seja direta ou indiretamente, mas que é maçante e chato.

Aqui se encontra um dos diferenciais do filme; que é a tentativa de tornar essa chatice algo mais tranquilo e didático. Para isso, usam piadas, sarcasmo, explicações que pausam o filme e até convidam celebridades como Selena Gomes para tornar o assunto mais “de boa”. Acontece que isso soa mal, demonstra um desespero de criar uma atmosfera mais leve para um assunto que pouco atrairia para o cinema. Ou seja, não deu muito certo.

Talvez a melhor das tentativas seja a interação do protagonista com o espectador. Seja nas horas em que está narrando a história, ou quando olha diretamente para a câmera e chama quem está assistindo para fazer parte do espetáculo.

selena gomes em a grande aposta

Essa tentativa de sistema didático de cursinho acaba escondendo os verdadeiros valores do filme. Ao citar, por poucas vezes, que estão lidando com a vida de milhões de pessoas, e que tudo isso que está em jogo pode destruir a vida de pessoas de bem, o filme ganha um lado mais emocional. Aqui a história cria empatia com quem viveu isso. Algo que entra naquilo que disse no começo do texto sobre se envolver. Acontece que esse uso da ganância ficou em segundo plano, o roteiro se focou somente em alertar as pessoas de que isso pode acontecer de novo, quase como uma mensagem política; soando mais uma vez como algo chato…que é seja útil, mas que perde conectividade pelo lado atrativo.

Também não se pode deixar passar alguns detalhes pequenos da produção que fazem toda a diferença. Como se trata de uma história real, o diretor usa frames de músicas, reportagens e até clipes musicais da época para auxiliar no entendimento das datas dos acontecimentos. Algo que não passa desapercebido, pois em uma cena vemos uma reunião quente sobre investimentos e siglas sobre siglas de sistemas bancários, enquanto na próxima temos Britney Spears dançando e seus clipes.

Brad Pitt - Ator e produtor do filme

Brad Pitt – Ator e produtor do filme

Em Resumo, o tema tratado é maçante, mas há uma tentativa quase sobre-humana de tornar o assunto mais aceitável, algo que, na minha opinião não ficou bom, pois um filme deve escolher seu alvo de público, e não tentar se comunicar com todos. Quando isso acontece, as pessoas que vivem no meio ao qual o filme está inserido não se identificam, e quem apenas flerta com esse contexto ou nem isso, vão olhar  com desinteresse ou como algo simples e esquecível.

De positivo fica a moral da história, afinal, sempre é bom um alerta sobre o quanto essas pessoas estão manipulando a vida de tanta gente.

“A verdade é como poesia, e a maioria das pessoas odeia poesia”

Comentários

comentários

About Celso Bove

Celso Bove Publicitário, Webdesigner, Blogueiro, fotógrafo, amante de todos os tipo de arte, em especial cinema. Fundador do Blackcine.

Leave a Reply

Your email address will not be published.