Home / Estreias / Projeto 365 – Dia 165 – Perdido em Marte

Projeto 365 – Dia 165 – Perdido em Marte

“Eu sou um pirata espacial”

Uma frase que revela um dos melhores pontos do filme: o humor.

Sinopse: 

O astronauta Mark Watney (Matt Damon) é enviado a uma missão em Marte. Após uma severa tempestade ele é dado como morto, abandonado pelos colegas e acorda sozinho no misterioso planeta com escassos suprimentos, sem saber como reencontrar os companheiros ou retornar à Terra.

Opinião:

Perdido em Marte usa uma temático antiga, muito usada, mas que, se bem feita, pode dar certo. Alguns clássicos como 2001: odisséia no espaço e Blade Runner encabeçam a lista que deram certo, e ensinam o que os diretores podem fazer para criar um filme marcante.

perdido em marte bring him home

E dá certo, apesar das já habituais características desse tipo de filme, “Perdido em Marte” consegue trazer alguns lampejos novos, apresentando bons aspectos ao trabalhar com questões políticas e vitais ao ser humano.

A tensão que o filme gera, causando aquela sensação de ausência de ar e sufocamento também é um ponto positivo, fazendo com que o espectador vá abraçando a história, esquecendo a temática usada, inclusive recentemente em “Gravidade” e “Interstellar”, construindo um bom roteiro.

Detalhes:

Assim como cita na frase que inicia o texto, o humor é o ponto alto. Apesar da definição do filme partir mais para o lado dramático, “Perdido em Marte” apresenta personagens que quebram esse ritmo melancólico com sarcasmos agradáveis e que agregam muito ao contexto.

matt damon perdido em marte

O grande responsável pelas tiradas bem humoradas é Matt Damon. O ator desenvolve um ótimo trabalho nesse mini monólogo, mostrando todo o seu potencial que pode levá-lo a voltar para a competição de melhor ator em competições importantes. Lembrando que o ator já fora premiado com Oscar e Globo de Ouro.

A trama criada para o ator também é bem interessante. Atitudes plausíveis, sorte, erros e muito uso de lógica e inteligência aparecem como tempero do filme, oferecendo elementos próximos a realidade, mas também muita tecnologia e cálculos matemáticos mirabolantes, uma mescla que conforta e faz com que acreditemos na história.

cena de perdido no espaço matt damon

E por fim, a trilha sonora. Um misto de músicas produzidas para o filme e com características puramente musicais (sem letra), com um curioso apego aos clássicos dos anos 80, ou mais específico da dance music, por motivos aos quais não posso revelar. Mas adianto, isso garante boas risadas e alimenta bem o trabalho do diretor Ridley Scott.

Por fim:

Um filme que mostra o quanto é importante acreditarmos na vida, o quão fundamental é lutar por ela e, que mostra para todos a importância de ter uma clareza nos caminhos que escolhemos, pois uma hora essa decisão será fundamental.

PS: Acrescentar a música “Space Oddity” (abaixo) no filme foi uma baita sacada do diretor.

Comentários

comentários

About Celso Bove

Celso Bove Publicitário, Webdesigner, Blogueiro, fotógrafo, amante de todos os tipo de arte, em especial cinema. Fundador do Blackcine.

Leave a Reply

Your email address will not be published.