Home / Blackcine / Projeto 365 – Dia 120 – Cantando na Chuva

Projeto 365 – Dia 120 – Cantando na Chuva

“O sol está em meu coração
E estou pronto para o amor”

Você já se apaixonou? Se a resposta for sim,  sinta a representação desse sentimento nos pés do gênio Gene Kelly. Se for não, ou você está naquela fase de não acreditar muito no amor, recomendo assistir o filme e entender o quanto um verdadeiro sentimento pode mexer conosco.

De quebra você ainda terá a sensação de como foi a transição do cinema mudo para o falado, mostrando em detalhes todos os problemas que atores, produtores e grandes companhias tiveram com essa nova invenção.

Tudo isso colocou esse filme no topo da lista da AFI (American Film Institute) como o melhor musical de todos os tempos, deixando pra traz “Mágico de Oz” e “Noviça Rebelde”.

American Film Institute afi

O filme em si conta a história do ator Don Lockwood (Gene Kelly) e da atriz Kathy Selden (Debbie Reynolds), duas pessoas que se conhecem em meio a uma situação atípica, dando a história dois protagonistas de peso, afinal, ambos dançam, sapateiam, cantam e atuam, um conjunto acumulado de habilidades que permite ao filme ter mais de uma história dentro do roteiro.

Todas essas histórias tomam muito tempo do filme, pois os atores vão atuando dentro da atuação, representando como era, e é a vida dos atores, além de todo o trabalho para figurino e cenografia que deixaram todo o conjunto muito minucioso e rico, tendo um custo de US$ 2.540.800 de dólares, algo surreal para a época (filme de 1952).

gene kelly debbie reynolds donald o'connor

O ator Donald O’Connor vive um amigo de Don Lockwood, enriquecendo ainda mais a trama, pois além das habilidades dos outros dois protagonistas, o rapaz ainda era músico, capaz de interpretar e tocar piano ao mesmo tempo, deixando a obra ainda mais rica.

Portando, “Cantando na Chuva” é muito mais que sua cena clássica, sendo até hoje uma fonte de inspiração para filmes que querem contar a história do cinema e também criar um musical caprichado.

Uma coisa sobre essa cena, junto com os muitos litros d’agua usados foram acrescidos leite, dessa forma a chuva aparecia com mais clareza na imagem.

Comentários

comentários

About Celso Bove

Celso Bove Publicitário, Webdesigner, Blogueiro, fotógrafo, amante de todos os tipo de arte, em especial cinema. Fundador do Blackcine.

Leave a Reply

Your email address will not be published.