Home / Projeto 365 / Projeto 365 – Dia 116 – Big Hero 6

Projeto 365 – Dia 116 – Big Hero 6

“Olá, eu sou B-Max, seu agente pessoal de saúde”

Antes de falar de “Big Hero 6” é justo comentar quais são suas origens. Esse filme trará para as telas três empresas gigantescas do entretenimento, Pixar, Disney e Marvel. Disney por conta de produzir o filme, Pixar por oferecer seu mais brilhante nome para auxiliar na produção, John Lasseter (um gênio) e Marvel por conta dessa história ser originária de um quadrinho criado por Stan Lee. Ou seja, é praticamente impossível esse filme não agradar muita gente, tanto que levou Oscar de melhor animação.

big hero 6 quadrinhos

Dito isso, vamos ao filme.

A frase que inicia essa crítica é repetida de maneira robótica por um personagem de extremo carisma criado para Big Hero 6. B-Max, um robo criado originalmente para ser um agente de saúde e auxiliar as pessoas com seus ferimentos domésticos, além de, sem dúvida alguma, ser o ponto alto do filme. Seu criador é o irmão do protagonista, Tadashi Hamada, um típico “American Boy”, inteligente, atlético e gentil. E, por fim, o protagonista Hiro Hamada, personagem de 13 anos que viverá experiências que levarão seu psicológico ao extremo, capaz de fazer qualquer criança, ou até adulto, enlouquecer.

Para um filme americano, assinado pela Disney, é bem diferente ver nomes japoneses, mas tudo isso vem da origem dos quadrinhos Marvel, que conta ainda com o nome da cidade aonde se passa o filme, San Fransokyo, uma mistura da clássica cidade norte-americana San Francisco e a tecnológica cidade japonesa Tokyo.

Desenho das cidades mescladas

Desenho das cidades mescladas

Tudo isso unido, mais cargas dramáticas padrão Disney, como por exemplo o fato de o protagonista ter perdidos os pais aos 3 anos, vão levando “Big Hero 6” a um caminho psicológicamente interessante e, principalmente a valiosos ensinamentos sobre os valores que podemos ter frente a situações complicadas. Drama esse que leva a assinatura de John Lasseter, pois é um dos poucos caras que tem a capacidade de incluir o drama dentro de histórias animadas, de ação e com muito humor.

Humor esse que leva o destaque do filme. O time de comédia desse longa animado é absolutamente bem feito, com muitas cenas dignas de video cassetada, mas também com sacadas interessantes aonde é possível observar o quanto o filme estava trabalhado para essas cenas, que muitas vezes eram longas, mas que acrescentavam muito ao lado cômico.

big hero 6 b max vazando durex

A parte com menos força do filme fica para os coadjuvantes. Não que eles atrapalhem ou não tenham importância, pelo contrário, pelo tempo de filme que dedicaram a eles somos capaz de traçar as personalidades padrão de cada um, algo que soará padronizado e um tanto quanto previsível. São eles: um nerd (Wassabi), uma especialista em química (Honey Lemon), Go Go Tomago, a típica adolescente fechada e rebelde, mas com muita atitude, e por fim Fred, o maluco que toda faculdade possui.

Resumindo, temos um bom roteiro, cheio de ensinamentos para as crianças e adultos que assistirão e, acima de tudo, uma história bem construida, seja sendo previsível em algumas horas ou surpreendente como o final sugerido.

Comentários

comentários

About Celso Bove

Celso Bove Publicitário, Webdesigner, Blogueiro, fotógrafo, amante de todos os tipo de arte, em especial cinema. Fundador do Blackcine.

Leave a Reply

Your email address will not be published.